Posts Tagged ‘Economize Dinheiro’

Requisitos mínimos para usar a Unreal engine 3.

6 de novembro de 2009

Para quem quiser testar a Unreal engine 3 além de baixar o software seu computador precisa ter no mínimo:

* Windows XP SP2 or Windows Vista (é provável que já funcione com o Windows7)
* Processador com 2.0+ GHz (o site não menciona o número de núcleos, então Pentium4 e AMD Atlhon servem)
* 2 GB de memória RAM
* Placa de vídeo com Shader Model 3
* 3 GB de espaço livre em disco (isto só para o programa, fora o espaço necessário para o conteúdo do seu jogo)

No entanto a Epic recomenda:

* Windows Vista 64 SP2 (afinal irá lidar com muita memória RAM)
* Processador 2.0+ GHz com multi-core (Intel Core2Duo e AMDPhenonII)
* 8 GB System RAM
* NVIDIA 8000 series or higher graphics card (ATI series 5000 obtém excelentes resultados também)
* Muito, mas MUITO espaço em disco dependendo do seu projeto.

Antes de se preocupar com os requisitos de hardware é importante lembrar que dependendo do seu projeto e considerando que seja um jogo feito para aprender como usar a engine, os requisitos mínimos de hardware atendem bem a situação.

 

Agora a Unreal engine 3 pode ser baixada de graça!

6 de novembro de 2009

Se você desenvolve jogos, sabe que é muito dificil conseguir acesso as boas engines de desenvolvimento. Ainda que este quadro tenha mudado um pouco nos últimos anos, afinal a microsoft já distribui o framework XNA e o Visual Studio gratuitamente para os estudantes, mas e para aqueles que não estão matriculados em uma universidade como fica, usar software não licenciado? A Epic respondeu esta questão, eles disponibilizam a engine Unreal 3 pra você de graça e sem perguntas! É claro que esta engine tem propósitos educacionais, mas se você lançar um jogo comercial, o pessoal da Epic  tem planos para facilitar o processo de licença da engine.

[Vimeo 7455547 ]

Outra opção é usar uma engine aberta como a Blender Game engine.

Logo que as férias da universidade começarem, vou iniciar o projeto para desenvolvimento de um jogo, ainda estou decidindo alguns detalhes e juntando umas lascas para comprar um novo computador, quem quiser saber mais sobre o meu trabalho deixe um comentário.

Para quem ainda “cata milho”.

3 de novembro de 2009

Se você digita sem usar todos os dedos, ou não tira os olhos do teclado pra conseguir escrever, faça um curso grátis no site TypingWeb.

Há várias opções de idioma na interface, além de suportar vários layouts de teclado.

No acesso gratís há menos exercícios para realizar e são exibidos alguns banners.

No acesso pago os banners saem e o suporte ao aluno está incluso.

Você também pode tirar o certificado de conclusão do curso por U$50,00.

Agora acabou a desculpa, catar milho nunca mais.

ATI Radeon 5000 series, se você pretende montar um PC pra jogar, considere esta série.

6 de outubro de 2009

Se você juntou umas lascas pra comprar aquela máquina pra jogar, espere um pouco mais, pois a ATI lançou a nova Radeon 5870 já preparada para rodar os jogos usando o DirectX11!  Brevemente veremos em nossas lojas esta belezinha, mas é claro que com o dolar em baixa fica difícil não buscar direto no “Novo ovo“, fiz alguns cálculos e por menos de R$1.200,00 (já incluso os impostos) podemos obtê-la se tivermos um amigo pra trazer dos EUA. Agora se a grana estiver curta, a ATI Radeon 5850 pode sair por menos de R$500,00 (com alguma sorte)!

Estas placas diferem principalmente na quantidade de Stream processors, isto reflete diretamente na performance do processamento paralelo que é o mais usado pelos jogos e não adianta o overclock na 5850 para tentar chegar na perfornace da 5870, mesmo assim pela diferença de preços, e sabendo que poucos irão notar as melhorias com todos os recursos ativados a 5850 é uma boa opção.

O vídeo abaixo mostra a evolução da ATI usando o DirectX.

Para aqueles que já possuem o windows7,  já podem testar as melhorias que o DirectX11 (ainda beta) pode fazer aos jogos. Dentre as melhorias trazidas pelo DirectX11 podemos destacar:

Cálculos de física nos jogos feitos direto pelo hardware usando a engine Bullet, a qual possui código fonte aberto e pode ser melhorada pela comunidade, imagine o ganho de performance nas próxima versões dos drivers quando os próprios desenvolvedores e os jogadores puderem colaborar na produção destes drivers. A Nvidia usa uma engine proprietária a PhysX, então se quiser alguma revisão, espere pela boa vontade da Nvidia.

Estas placas também suportam aplicativos desenvolvidos usando as bibliotecas OpenCL onde a GPU ajuda o CPU a processar os programas, aplicações científicas de grande precisão, tais como análise geográfica, modelos moleculares, entre outros os quais serão muito beneficiados com com esta implementação. Sem falar nas aplicações mais comuns como a renderização de vídeos e até mesmo bancos de dados podem ser otimizados usando OpenCL ou a biblioteca própria da ATI a Brook+, porém esta última leva uma ligeira desvantagem em relação a integração que a biblioteca CUDA da Nvidia oferece para os desenvolvedores de software, enquanto que a biblioteca OpenCL por ser mais abrangente é mais difícil de se trabalhar, contudo uma vez dominada pelo desenvolvedor é imbatível, já que tanto Nvidia quanto a ATI e outros fabricantes a suportam.

Estas placas também oferecem o suporte ao Eyefinity, assim múltiplos monitores podem ser usados para compor uma única tela chegando à resoluções altas como: 5760×2400!

Baixo consumo de energia, a ATI informa que a 5870 deve consumir em média 180W, logo uma fonte de 600W pode dar conta do PC com folga.

Boa refrigeração, a placa usando todos os recursos chega a 53ºC. Lembrando que o gabinete precisa ser bem espaçoso já que a placa é grande, fico pensando no tamanho que terá a 5870X2, será enorme com certeza.

Resumindo, muitos recursos, baixo consumo de energia, e muito mais barata que a concorrente, a Nvidia terá um grande desafio pra bater esta série  da ATI.

Problemas com gatos? Use o blender defender!

30 de setembro de 2009

Seu querido gatinho tem mexido em algo delicado ou estragando as plantas?

Eu ri alto depois de ver isso.

A ideia é simples: o barulho e a luz estroboscópica funcionam como se fosse você repreendendo o gato, com isso você adestra o seu gato, não machuca o seu bichano e seus tesouros ficam protegidos (ou plantas).

Um exemplo de “solução técnica avançada” que deu muito certo.

Ubuntu Linux vai completar 5 anos e somos nós quem iremos ganhar um presente!

29 de setembro de 2009

No dia 20 de Outubro de 2004 a fundação Canonical lança pela primeira vez a sua distribuição o Ubuntu 4.10, esta distribuição foi derivada do Debian, porém o Ubuntu possui certas particularidades, por exemplo a contagem da versão é baseada na regra ano.mês ao invés da contagem tradicional das versões.
No Ubuntu não há versões pagas, assim todas as novidades chegam integralmente a todos os usuários sem distinção.
A facilidade de uso do sistema para instalar novos dispositivos e o uso do Gnome como desktop padrão ajudam bastante os novos usuários, mesmo quem está muito acostumado a usar o windows consegue em pouco minutos se adaptar e usar o Ubuntu. E para provar isso instalei o Ubuntu 9.04 num computador de um usuário que já estava bem acostumado a usar o Windows e o Office e como previ foi muito tranquilo o uso, todos os dispositivos foram instalados sem a minha intervenção, a multifuncional HP bastou ligar e poucos segundos depois já estava instalada.
Os aplicativos foram instalados pelo Synaptic de propósito pra confirmar que é possível usar o Linux sem tocar no terminal, mas é claro que as coisas são muito mais fáceis pelo bash.
Após 90 minutos tinhamos um computador com sistema operacional, dispositivos e aplicativos instalados e atualizados, claro a conexão de banda larga era muito boa e contribuiu nas atualizações, que inclusive foram baixadas enquanto o sistema estava sendo instalado!
Daqui 30 dias teremos uma nova versão liberada pela Canonical que terá uma dura missão pela frente: manter a estabilidade, o rápido tempo de boot e melhorar a interface gráfica para competir com a nova versão do Windows que será lançada oficalmente em outubro também.
Com essa disputa acirrada pela preferência do usuário, quem ganha o presente somos nós que temos um OS cada vez mais caprichado!
ubuntu-logo_by-ubuntista-com

RAID parte VII

17 de setembro de 2009

RAID-5

Este tipo de RAID largamente usado funciona similarmente ao RAID 4, mas supera alguns dos problemas mais comuns sofridos por esse tipo. As informações sobre paridade para os dados do arranjo são distribuídas ao longo de todos os discos do arranjo, ao invés de serem armazenadas em um disco dedicado.

Essa idéia de paridade distribuída reduz o gargalo de escrita (write bottleneck) que era o único disco de um RAID-4, porque agora as escritas concorrentes nem sempre requerem acesso às informações sobre paridade em um disco dedicado. Contudo, a performance de escrita geral ainda sofre por causa do processamento adicional causado pela leitura, recálculo e atualização da informação sobre paridade.

Para aumentar a performance de leitura de um arranjo RAID-5, o tamanho de cada segmento em que os dados são divididos pode ser otimizado para a aplicação que estiver usando o arranjo. A performance geral de um arranjo RAID-5 é equivalente ao de um RAID-4, exceto no caso de leituras seqüenciais, que reduzem a eficiência dos algoritmos de leitura por causa da distribuição das informações sobre paridade.

Como em outros arranjos baseados em paridade, a recuperação de dados em um arranjo RAID-5 é feita calculando a função XOR das informações dos discos restantes do arranjo. Pelo fato de que a informação sobre paridade é distribuída ao longo de todos os discos, a perda de qualquer disco reduz a disponibilidade de ambos os dados e informação sobre paridade, até a recuperação do disco que falhou. Isto pode causar degradação da performance de leitura e de escrita.

RAID parte VI

16 de setembro de 2009

RAID-4

Este é um tipo de arranjo segmentado, mas incorpora um método de proteção de dados mais prático. Ele usa informações sobre paridade para a recuperação de dados e as armazena em disco dedicado. Os discos restantes, usados para dados, são configurados para usarem grandes (tamanho medido em blocos) segmentos de dados, suficientemente grandes para acomodar um registro inteiro. Isto permite leituras independentes da informação armazenada, fazendo de RAID-4 um arranjo perfeitamente ajustado para ambientes transacionais que requerem muitas leituras pequenas e simultâneas.

Arranjos RAID-4 e outros arranjos que utilizam paridade fazem uso de um processo de recuperação de dados mais envolvente que arranjos espelhados, como RAID-1. A função ou exclusivo (XOR) dos dados e informações sobre paridade dos discos restantes é computada para reconstruir os dados do disco que falhou. Pelo fato de que todos os dados sobre paridade são escritos em um único disco, esse disco funciona como um gargalo durante as operações de escrita, reduzindo a performance durante estas operações (write bottleneck).

Sempre que os dados são escritos no arranjo, informações sobre paridade normalmente são lidas do disco de paridade e uma nova informação sobre paridade deve sempre ser escrita para o disco de paridade antes da próxima requisição de escrita ser realizada. Por causa dessas duas operações de E/S, o disco de paridade é o fator limitante da performance total do arranjo. Por causa dele requerer somente um disco adicional para proteção de dados, arranjos RAID-4 são mais baratos que arranjos RAID-1.

O jornal Folha de São Paulo lançou hoje a edição digital.

13 de setembro de 2009

Para quem detesta ficar com as pontas dos dedos sujos de tinta, ou ficar dobrando a folha do jornal (que é bem grande)  a Folha acaba de lançar hoje a edição digital do seu jornal.

A edição que é publicada em São Paulo será liberada diariamente a partir das 5:30h para os assinantes do jornal.

Ainda bem que nos primeiros 30 dias o acesso está liberado para todo o público!

Aproveitem este serviço em: http://edicaodigital.folha.com.br/home.asp

Boa leitura.

RAID parte V

12 de setembro de 2009

RAID-2 e RAID-3

Raramente são usados, e em algum momento ficaram obsoletos pelas novas tecnologias de disco. RAID-2 é similar ao RAID-4, mas armazena informação ECC (error correcting code), que é a informação de controle de erros, no lugar da paridade. Isto ofereceu pequena proteção adicional, visto que todas as unidades de disco mais novas incorporaram ECC internamente.

RAID-2 pode oferecer maior consistência dos dados se houver queda de energia durante a escrita. Baterias de segurança e um desligamento correto, porém, podem oferecer os mesmos benefícios. RAID-3 é similar ao RAID-4, exceto que ele usa o menor tamanho possível para a stripe. Como resultado, qualquer pedido de leitura invocará todos os discos, tornando as requisições de sobreposição de I/0 difíceis ou impossíveis.

A fim de evitar o atraso devido a latência rotacional, o RAID-3 exige que todos os eixos das unidades de disco estejam sincronizados. A maioria das unidades de disco mais recentes não possuem a habilidade de sincronização do eixo, ou se são capazes disto, faltam os conectores necessários, cabos e documentação do fabricante. Nem RAID-2 e nem RAID-3 são suportados pelos drivers de RAID por software no Linux.