Archive for the ‘Diversos’ Category

Uma nova e muito promissora geração de processadores está por vir.

7 de maio de 2013

A necessidade é a mãe de todas as invenções.

Este Processador quer tomar o lugar das APU's AMD e das GPU's discretas.

Este Processador quer tomar o lugar das APU’s AMD e das GPU’s discretas.

Estamos às vésperas de uma nova geração de consoles e apesar do WiiU já ter sido lançado com novos recursos computacionais muito interessantes, a indústria que desenvolve os jogos não se moveu a tempo de mostrar a aplicação destes recursos. Isso acaba gerando um processo encadeado onde não ocorre a massa crítica fundamental para que os novos equipamentos sejam demandados.

Agora com o tão aguardado lançamento do novo Xbox e do já anunciado Playstation 4 é hora de subir mais um pouco a performance dos componentes que irão integrar os novos computadores tanto dos desenvolvedores (afinal sem eles, não temos jogos) quanto dos jogadores e pra facilitar a vida de quem não vai investir 3 Mil reais num PC, temos a disposição CPU’s híbridas conhecidas como APU (Unidade de Processamento Acelerado) que “a grosso modo” é  uma união entre um processador e uma placa de vídeo discreta. Só que até então apenas a AMD oferecia um produto adequado nesta categoria.

Só que a Intel não quer perder a fatia do mercado de PC’s de baixo custo e pra melar com a concorrência, pretende lançar  um processador (apenas para fabricantes/integradores autorizados) com 128MB de memória eDRAM integrada.

Apesar do nome chamativo a memória eDRAM é basicamente a mesma memória RAM que vai soquetada numa placa-mãe comum, porém esta não precisa seguir o padrão de construção da RAM comum. A Intel vai usar essa memória adicional como um cache L4 onde tanto a CPU quanto a GPU poderão acessá-la num barramento muito maior que o da memória tradicional, provavelmente a 512 bits e no mesmo clock do processador, se a latência desta memória for baixa, o pc vai “voar” para o usuário. Abrir uma nova aba no navegador enquanto ouve música ou aguardar uma nova luta no Street Figther vai demorar bem menos.

Para os fabricantes e montadores de PC e laptops (não Ultrabooks) isso é uma ótima notícia, já que poderão montar um equipamento mais barato e mesmo assim entregar um produto de qualidade para as lojas.  Quem vai ter de correr atrás do prejuízo é a concorrência, no caso a NVidia e a AMD que terão de produzir placas discretas ainda melhores e mais em conta ou no caso da AMD produzir APU’s  mais eficientes e baratas.

Infelizmente no “Brazil” onde tudo ficou pra depois da Copa e das “Olímpiadas” sabe lá quando e a que preço esses novos processadores irão chegar……

Pra quem quiser ir de APU mesmo, aí já tem disponível.

Quer saber mais sobre esse processador muito interessante que a Intel vai lançar? Eu li aqui.

Anúncios

Não apague seus e-mails, é o que diz a Microsoft.

25 de agosto de 2011

O Yahoo também fez isso a bom tempo atrás, agora chegou a vez da Microsoft dar mais uma turbinada no hotmail.

Pelo menos foi o que percebi hoje (à tarde)  ao abrir o meu hotmail.

Para muita gente isso pode passar batido, já que o Twitter, SMS,  Facebook,  Google Plus e o Orkut fazem o trabalho pesado no que se refere a mensagens instantâneas.

Mas o email hoje não se limita apenas a isso, tanto que até possui IM integrado na maioria dos webmails.

Além disso muitas pessoas utilizam as contas de email para enviar de tudo um pouco e com o aumento do limite de anexos que alguns servidores de email permitem enviar, o webmail se tornou um “FTP” improvisado.

Eu mesmo guardo muitos dos meus trabalhos da faculdade no email, assim quando não acho no meu PC, corro para o webmail e torço pra digitar algo na busca que me traga fácil o que preciso.

Mas essa facilidade não vem à toa, afinal os emails armazenados nas contas do hotmail servem como ferramenta para melhorar o Bing, da mesma forma que o Google faz hoje com o Gmail. (é claro que da mesma forma é apenas força de expressão)

Em resumo: muita gente (mal agradecida) não vai ligar, pois nem abre a caixa de entrada há séculos, outros como eu que usaram email na época do 1MB grátis e pularam de alegria quando o hotmail subiu pra 2MB (\o/) vão ficar contentes. Embora há muito tempo eu não sei como é ficar no dilema entre qual mensagem eu vou apagar pra liberar espaço da minha conta, mas tenho certeza muita gente por aí já ficou.

Caracteres n?o imprim?veis, você já viu?

2 de maio de 2011

Às vezes as pessoas querendo deixar aquele texto feito no Word com um nome de arquivo todo “certinho”, coloca todos os acentos e vírgulas e até símbolos matemáticos no nome do arquivo, porém o que o usuário não sabe (e nem se dá ao trabalho de saber) é que ao criar nomes de arquivo assim a chance desse arquivo aparecer sem a formatação ou nem abrir em outro computador é muito grande. Nem é preciso ir muito longe com isso, basta criar um documento no Windows 7 e tentar abrir no Windows 2000, mesmo um documento do bloco de notas corre o risco de não abrir, por um detalhe tão simples quanto o nome do arquivo.

No Linux a situação é ainda mais capciosa já que os arquivos escritos com caixa alta e caixa baixa são distintos para o S.O., com isso teste.txt e Teste.txt são diferentes, mas você notou alguma diferença entre eles?

Recentemente recebi alguns arquivos da professora responsável pelo estágio supervisionado da Universidade.

Eu não conseguia abrir nenhum dos arquivos, no começo pensei que estivessem mesmo corrompidos, então baixei de novo.

Então vi que eles não estavam, tentei entender o que se passava; o OpenOffice dizia que os arquivos estavam corrompidos, pois não podia ler aqueles NOMES de arquivo, mas o Mandriva (meu S.O.) dizia que tudo estava ok…… Fui ao shell para verificar….

[adriano@meupc ~]$ cd  ‘/home/adriano/Downloads/Documentos – alunos e professores/’

Listei o conteúdo da pasta com o ls e um dos arquivos apareceu assim:

Declara��o de Conclus�o de Est�gio Curricular 2011-1.pdf’

Agora se nem eu consigo ler o nome desse arquivo desse jeito, que dirá o OpenOffice?

Eu posso é claro deduzir qual é o nome correto do arquivo, mas esperar que um software faça deduções é pedir demais por enquanto, não é mesmo?

Aí você pode me dizer então que basta mudar o nome do arquivo pra um nome mais fácil de ser lido pelo computador que tudo está resolvido, certo?

Sim está certo, mas como você vai digitar um caractere que você não sabe qual é?

E como posso fazer para descobrir qual é aquele caractere?

Utilizando um editor de textos tal qual o VIM (dá trabalho mas é o que há no que se propõe a fazer).

Abra um novo documento no vim e cole o trecho de texto com os caracteres não identificados, posicione o cursor no caractere a ser consultado e no modo de comandos digite: ga . No rodapé do vim vai aparecer a representação gráfica do caractere seguido do valor decimal, o valor hexadecimal e por fim o valor octal. Com estes valores você pode consultar a tabela ASCII para identificar os caracteres perdidos, ou se você já sabia qual era o caracteres e apenas quer substituir no vim basta usar o comando: %s,\%xfffd,c,g esse comando vai substituir todos os “ç” por c do texto que houverem no documento do vim.

Mas não existe um jeito mais fácil?

Felizmente para nós há sim. 🙂

No shell (bash) existe o comando auto completar, com isso basta acessar a pasta onde se encontram os arquivos com nomes mal comportados, digitar o começo do nome do arquivo e teclar <TAB>, o shell se encarrega de colocar os caracteres de escape e códigos octais necessários para representar o nome do arquivo, desse modo podemos usar o programa mv para trocar o nome do arquivo desse jeito:

mv Declara��o de Conclus�o de Est�gio Curricular 2011-1.pdf’ Declaracao_Conclusao_Estagio_Curricular_2011.pdf

Agora o nome do arquivo pode não estar tão “bonito” quanto antes, mas pelo menos posso abrir tranquilamente não apenas no meu computador, como em praticamente qualquer computador. Afinal .pdf não significa formato de documento portátil à toa.

Desmontando a curiosidade

19 de abril de 2011

Difícil é saber quem conseguiu montar depois. rs

Quem nunca pensou em como é que o computador faz pra exibir uma imagem?

Eu sempre fui muito curioso em saber como as coisas funcionavam. Nos dias em que não podia sair com a bike ou jogar bola (admito, fui péssimo no futebol, sempre era o goleiro por razões óbvias) procurava desmontar as coisas como rádios velhos, pilhas (crianças não façam isso!), carrinhos eletrônicos que já estavam quebrados (alguns eu consertei!) o ferrorama…. Enfim queria saber como eram por dentro, suas engrenagens e mecanismos.

Com a informática não foi diferente, demorei muito pra me tornar um programador, procurei primeiro aprender com funcionava um S.O. e por meio das suas ferramentas resolver os problemas que encontrava, antes de ir pras profundezas do código-fonte. Afinal código-fonte e Windows não combinam, não é mesmo? No Linux, pude finalmente entender alguns conceitos da computação gráfica já que o X server lhe permite fazer várias experiências (quase sempre com resultados desastrosos) mas me deu a chance de entender esse conceito.

Nos dispositivos eletrônicos a tela nada mais é que uma matriz, e cada ponto desta matriz possui um valor que representa a cor daquele pixel, da mesma forma que uma imagem matricial, porém a tela é atualizada  várias vezes por segundo e por isso o processamento do vídeo demanda mais tempo do processador ou na maioria dos casos um processador dedicado a esta tarefa e um módulo de memória rápido o bastante para que não sejam percebidas as “travadas” na imagem decorrentes da queda do número de quadros por segundo de imagens enviadas para a tela.

É por isso que aquele jogo recém lançado requer uma placa gráfica melhor, ou um upgrade no processador ou até mesmo um micro novo para ter a capacidade de processamento necessária pra gerar todas aquelas animações de modo convincente.

E pensar que atualmente um computador capaz de executar plenamente os jogos de última geração ultrapassa a capacidade de processamento bruto dos supercomputadores do começo dos anos 1990!

Sugestão para boas risadas: Nerdson não vai a escola.

4 de outubro de 2009

Um blog muito divertido, repleto de boas tirinhas; recentemente o Karlisson (autor do Nerdson) fez uma paródia com a série o “Mundo de Beakman” que ficou ótima, vale a visita.

Veja uma história do Nerdson no “Mundo de Geekm4n”!

O programa passava na Cultura aqui em São Paulo era ótimo.

O programa passava na TV Cultura aqui em São Paulo e era ótimo.

Ele também escreve alguns tutoriais sobre o Inkscape, um editor de imagens vetorial ainda em estágio inicial de desenvolvimento, mas com muito potencial e com um longo caminho a ser percorrido.

Não acredito! Luciano Huck falando “que agora” lançaram um “karaokê de instrumentos”….

3 de outubro de 2009

Eu quase caí de costas quando vi o Sr Huck vestido como John Lennon tocando o Rock Band dos Beatles.

Quer dizer tentando……. pois ele setou no easy.

Hilário!!!

Mas dizer que saiu agora, é o fim da picada!

RAID parte VII

17 de setembro de 2009

RAID-5

Este tipo de RAID largamente usado funciona similarmente ao RAID 4, mas supera alguns dos problemas mais comuns sofridos por esse tipo. As informações sobre paridade para os dados do arranjo são distribuídas ao longo de todos os discos do arranjo, ao invés de serem armazenadas em um disco dedicado.

Essa idéia de paridade distribuída reduz o gargalo de escrita (write bottleneck) que era o único disco de um RAID-4, porque agora as escritas concorrentes nem sempre requerem acesso às informações sobre paridade em um disco dedicado. Contudo, a performance de escrita geral ainda sofre por causa do processamento adicional causado pela leitura, recálculo e atualização da informação sobre paridade.

Para aumentar a performance de leitura de um arranjo RAID-5, o tamanho de cada segmento em que os dados são divididos pode ser otimizado para a aplicação que estiver usando o arranjo. A performance geral de um arranjo RAID-5 é equivalente ao de um RAID-4, exceto no caso de leituras seqüenciais, que reduzem a eficiência dos algoritmos de leitura por causa da distribuição das informações sobre paridade.

Como em outros arranjos baseados em paridade, a recuperação de dados em um arranjo RAID-5 é feita calculando a função XOR das informações dos discos restantes do arranjo. Pelo fato de que a informação sobre paridade é distribuída ao longo de todos os discos, a perda de qualquer disco reduz a disponibilidade de ambos os dados e informação sobre paridade, até a recuperação do disco que falhou. Isto pode causar degradação da performance de leitura e de escrita.

O jornal Folha de São Paulo lançou hoje a edição digital.

13 de setembro de 2009

Para quem detesta ficar com as pontas dos dedos sujos de tinta, ou ficar dobrando a folha do jornal (que é bem grande)  a Folha acaba de lançar hoje a edição digital do seu jornal.

A edição que é publicada em São Paulo será liberada diariamente a partir das 5:30h para os assinantes do jornal.

Ainda bem que nos primeiros 30 dias o acesso está liberado para todo o público!

Aproveitem este serviço em: http://edicaodigital.folha.com.br/home.asp

Boa leitura.

Novo Logo!

12 de setembro de 2009

Hoje eu falei com o meu amigo Jonatan (vulgo Candango) para modificar um pouco o visual do blog, ele é muito bom com isso, tem até o próprio blog chamado O-Gimp.

Quem precisar de um logo, um favicon ou algo do tipo é só entrar em contato com o Jonatan.

E então, gostaram do novo cabeçalho?

P.S.: Pra galera do bairro continua Candango.

Livemocha, um ótimo lugar para aprender um novo idioma.

10 de setembro de 2009

Tá com o orçamento zerado e precisa aprender um novo idioma?

Sem problema acesse o livemocha!

São tantas opções de idiomas que dificilmente você não irá encontrar a língua que precisa aprender.

Existem duas modalidades de acesso:

A gratuita que te dá acesso uma boa gama de material, além da comunidade que ajuda de verdade no aprendizado, afinal a melhor de aprender é ensinando.

A paga que dá acesso a todo o conteúdo e ainda tem professores pra ajudar.

Eu usei o acesso gratuito e acredito ser o suficiente para aprender nos níveis básico e intermediário.

Valeu Jorge pela dica!